Arco e Flecha: Não Sirvo

quarta-feira, setembro 16, 2015 0 Comentários A+ a-


Olá, pessoas interessantes! Resolvi trazer alguns posts mais pessoais a partir de hoje para compor o conteúdo do blog também, já que o conteúdo sobre livros anda meio parado pela minha falta de tempo. Vou compartilhar algumas experiências com vocês, principalmente agora que eu ando curtindo muito as coisas que a natureza dá pra gente. Como andar a cavalo, acampar, passar terra na cara (brincadeira!), haha. Enfim, no final de semana passado, minha irmã teve uma festa surpresa na chácara onde o namorado dela mora. Lá tem bastante espaço e eles gostam muito de armas, o que resultou em um dia cheio de tiros de arco e flecha e besta. Deixarei para falar da besta em outro post. Vamos lá!



Já está acostumado a acompanhar a Katniss e o Gavião Arqueiro? Parece tão fácil, né? Quando se é grande e forte, sim, é bem fácil. Mas quando se é quase do tamanho do arco e com braços-vareta, isso não dá muito certo.

Como foi
Primeiro: O arco é pesado. Nada insuportável, mas ficar com ele erguido por dois minutos já é motivo para querer baixá-lo e descansar os músculos do braço.

Se você achar o arco pesado, espere até puxar a "corda" do arco... Não sei como se chama aquela parte que puxamos para atirar a flecha. É tão apertado de puxar, que é preciso puxá-lo e atirar a flecha muito rápido.

Mirar não é tão difícil, quando o seu braço já não está prestes a cair. A flecha fica encaixada na "corda", o que significa que quando o Légolas pega a flecha e só lança, é só com os arcos medievais mesmo... Se esperar até encaixar os de hoje, você já morreu.

O cordão é muito duro e áspero, parece a junção de três cordas de Mi do violão, o que significa que é necessário usar uma luva para puxá-lo e atirar a flecha. Essa luva cobre somente os três dedos do meio: o dedo mínimo e o polegar ficam para fora. Se você não usar a luva, vai doer pra cacete, sim. Afinal, até com a luva dói.

Para atirar, você deixa o corpo ereto, segura o arco com força, apertando bem a mão e deixa o braço que segura o arco totalmente reto (o que faz você aguentar o arco menos ainda). Em seguida, encaixa a ponta dos dedos indicador e médio, deixando a flecha no meio. Se você colocar mais que a ponta dos dedos, não vai conseguir atirar. Depois de mirar, puxa a corda do arco com toda a sua força em direção à bochecha e solta: essa movimento precisa ser rápido, se não você não vai aguentar puxar.

Se eu consegui? SIM! Acertei a bexiga no alvo! Mas o irmão do meu cunhado tinha tanta força que a flecha atravessava para o outro lado do alvo. Logo, a mira não é tanto o problema e sim, a força. Quanto mais longe você quer que vá, mais força terá que fazer ao puxar o cordão. 


E essa foi a minha experiência com o arco e flecha! Não me senti Katniss, Hobin Hood ou Légolas, mas foi muito legal! Fiquei com dor no músculo do antebraço, mas isso a gente subtrai. E você, o que acha de arco e flecha? Gostaria de atirar com ele? Comenta aí!

Sara Muniz, dona do blog Interesses Sutis, sou apaixonada por ler, escrever e criar. Adoro música erudita, rock, pop, música francesa e de vez em quando até uma musiquinha indiana para dar uma animada! Preciso ver artes plásticas para me inspirar a escrever. Meus autores preferidos são Patrick Rothfuss, J.R.R. Tolkien, Brandon Sanderson, Jostein Gaarder e Khaled Hosseini (nessa ordem). Amo cantar e desenhar - mesmo fazendo ambas as coisas mal -, sou fissurada por cachorros e todos são "bebês fofinhos" para mim. Às vezes, eu acho o mundo lindo, outras vezes eu acho que a colisão de um meteóro com a Terra seria a salvação. Saiba mais sobre mim na página "About"!

"Comento, logo existo."