Resenha - O Diário de Anne Frank

segunda-feira, setembro 22, 2014


Título: O Diário de Anne Frank
Autor: Anne Frank (Editado por Otto H. Frank e Mirjam Pressler)
Nº de páginas: 317
Editora: Record
No Skoob: Clique aqui
Comprar: Clique aqui



Sinopse:
"12 de junho de 1942 - 1° de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de muitos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente seguiu para Auschwitz e mais tarde para Bergen-Belsen."

Resenha
Anne Frank sempre foi uma garotinha alegre, cercada de "amigos" e estava sempre com os bolsos abarrotados de doces. Ela era um tanto esperta e sempre deixava os professores impressionados com respostas que eles definitivamente não esperavam vir de Anne.

Anne ganha seu diário de aniversário de 13 anos e começa a escrever nele porque acha que não tem nenhuma melhor amiga de verdade, na qual pode confiar tudo e contar tudo. Ela chama o diário de Kitty. E sempre começa com "Querida Kitty,".

Infelizmente a Holanda é tomada pela Alemanha, que promete caçar todo e qualquer judeu até não sobrar nenhum. E assim a família Frank precisa fugir. O pai de Anne, Otto Frank, pede refúgio ao seu chefe e o chefe lhe cede uma parte do prédio do escritório onde Otto trabalhava para que se esconda com sua família. Além da família Frank, outra família chamada "van Daan", onde estão a Sra. van Daan, o Sr. van Daan e o filho deles: Peter van Daan.

O local onde eles ficam é espaçoso e possui inúmero sótãos. A família Frank se instala no andar de baixo, e a van Daan instala-se no andar de cima. A porta para esse compartimento do prédio, foi disfarçada por uma estante de livros, então qualquer pessoa que entrasse no escritório, veria apenas uma estante de livros encostada na parede.

Ao longo desse caminho, Anne conta como passa a odiar os van Daan (principalmente a Sra. van Daan), como ela nunca considerou sua mãe como uma mãe de verdade e como ela se apaixonou por Peter van Daan. Além de falar muito mal acerca de Dussell, um homem que entra depois para a "equipe de refugiados". Anne diz que descobriu que algumas pessoas estão somente esperando a guerra acabar para publicar livros e diários de pessoas que sobreviveram a mesma e por isso ela fica totalmente animada, pois está totalmente determinada a publicar algo que se chamaria O Anexo Secreto. Depois diz muitas vezes o quanto ela deseja se tornar uma escritora famosa, e que escrever é o seu maior talento e que com certeza ela queria trabalhar com isso para o resto da vida, porque segundo ela, é uma espécie de fuga. (Tão linda <3)

Podemos notar o quanto Anne muda ao longo do tempo que ela vai passando ali. No começo, você nota o quão infantil ela era, e depois de começar a viver no Anexo, ela começou a mudar totalmente. Tem pensamentos diferentes sobre tudo, se sente solitária e incompreendida. Conta o quanto chora, o quanto o sofre, o quanto a comida é ruim (almoço: batatas, alface cozinha, feijão e cenouras podres). Ela conta como não aguentava mais comer as mesmas coisas - principalmente feijão -, mas que aquilo não era motivo para reclamar, porque com certeza tinha alguém passando por situações muito piores, e a única coisa que ela queria, era ficar famosa para fazer outras pessoas felizes. Ela queria ser livre.

✖  Avaliação do Enredo: É tão triste... O último diário de Anne é dia 1º de agosto de 1944. Ela estava tão confiante de que estaria livre em outubro... Tanto que seu último diário é bastante animado e cheio de esperança e expectativas... Tadinha da Anne )': - Não tem como avaliar um enredo verídico! Haha.

✖ Avaliação da Escrita: Nas notas da editora, dizem que apesar da tradução e das correções ortográficas, não mudaram muito o tipo de escrita de Anne. Sendo assim, ela era uma boa escritora. Creio que as palavras que se encaixam melhor estão ali devido a revisão, mas sei bem que Anne era uma escritora normal dos 13 aos 15 anos. Sem nada muito surpreendente, mas completamente aceitável. Ela era muito inteligente e lia bastante.

✖  O que me levou a avaliá-lo como excelente?
O Diário de Anne Frank é um dos símbolos mais importantes dos sobreviventes judeus do holocausto e todo o contexto histórico por trás da vida dos Frank e de todas as famílias e judeus que se esconderam durante a guerra. É comovente e empático... Com certeza é um livro que deve ser lido por todas as pessoas, sem exceção. Além de manter o leitor entretido, ele ainda pode servir de forma educacional, porque é realmente fundamental!

✖  Considerações finais:
É um dos melhores livros que já li. Fiquei muito triste de saber que Anne e sua família foram mortos (com exceção de Otto Frank). Ela nem teve tempo de escrever sequer mais um diário, dizendo o quanto estava sofrendo ou algo do gênero. Ela simplesmente para de escrever para você e nunca mais volta... Eu adorei o livro, é uma leitura que deve e sempre será recomendada por todos que lerem. Com certeza, Anne Frank está muito feliz agora, porque ela realmente se tornou uma autora famosa e demonstrou como foi uma garota forte e corajosa o tempo todo, até o fim.

E você? Já leu O Diário de Anne Frank? O que achou?! Diz aí! :D

Você também poderá gostar de

14 comentários

  1. Eu comecei a lê-lo na escola a uns dois anos, mas eu não consegui terminar. Acho que eu não estava com muita cabeça para biografias na época. Mas também esse tipo de leitura me afeta muito e eu sou uma pessoa bem sensível. É um livro que eu tenho vontade de terminar, apenas estou esperando o momento certo.

    P de Paranoia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom, mas é realmente comovente... :/ tenta ler quando estiver com a parte psicológica mais instável, hehe

      Excluir
  2. nunca li o livro, só assisti o filme, e fiquei morrendo de vontade de visitar o lugar onde ela se escondeu (que hoje é um museu). A história é realmente muito triste, e se torna mais ainda por se tratar de uma história real... ela conta como ficava apavorada quando ouvia barulho de bombas e tiros, não dá pra imaginar o que as pessoas daquela época devem ter passado.

    kissus, winterofme.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ela descrevia bastante essa parte também (esqueci de mencionar), nossa, ela ficava morrendo de medo... dizia que tinha mais medo das metralhadoras do que das próprias bombas, tadinha...

      Excluir
  3. Já faz bastante tempo que eu estou com vontade de ler esse livro, e estou tentando preparar-me psicologicamente, ainda mais porque não é uma história fictícia. Mesmo assim, parece ser um livro maravilhoso.

    Te espero lá em meu blog :3 | xoxo | www.quirky-tree.blogspot.com | ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, bate mais uma tristeza quando o final vai chegando... porque todo mundo conhece o final e sabe que realmente aconteceu, mas vale a pena ler

      Excluir
  4. Ai, por que tá todo mundo publicando resenhas de livros que eu vou resenhar? Adhaudhaudhaudhauhduahduahduahduahu.

    Anne Frank... amei o livro ♥ É simplesmente fantástico! A parte mais triste foi saber como os personagens morreram... e saber que é real... doloroso, apenas.

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei D: eu terminei de ler ontem SHUSAHUSAHU acho que todo mundo está lendo os livros que você está lendo ou já leu USHHAS... Sim, o final é o pior :/

      Excluir
  5. Eu ainda não li, dizem mesmo que é bem interessante.
    Porém no final do mês passado eu estive em uma palestra não me recordo o nome da senhora, acho que era Nanete(algo assim). Ela era outra sobrevivente do holocausto e ela estudou com Anne até o momento em que a Anne foi para esse esconderijo aí... Ela falou pouco sobre Anne e focou mais em toda sua trajetória de sobrevivência.
    Não deve ter sido nada fácil para uma criança/adolescente passar por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, a palestra deve ter sido incrível! Ela provavelmente não era uma amiga de Anne, porque ela fala o nome de suas amigas e até das inimigas, mas vai ver essa mulher só estudava no mesmo colégio, porque Anne era popular hehe SHUUASU

      Excluir
  6. Na segunda unidade fizeram sorteio pra decidir os livros que cada um ia ler, e minha sala não ficou com o Diário de Anne Frank, ficou com um livro de umas 15 páginas em formato de peça sobre uma putenha tendo um caso com todos os homens da cidade pra depois escolher o melhor ಥ_ಥ, mas esse livro pelo que sei é muito bom, quero muito ler.
    Beijos ♥ || Unicorn

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que zoeira SHUUASHAHU é muito bom mesmo!

      Excluir
  7. Oi Sara *.* Eu comecei a ler a Anne, mas não pude terminar e depois vieram tantos outros livros... Mas sempre que cruzo uma resenha ou algo assim, as considerações são belíssimas. Espero que a faculdade pare de me consumir e vou ler esse ano rs Gostei da forma como tu falou do livro *-* (e caraca como tu anda comendo livros ultimamente :o) rs

    Passe bem querida =]
    xoxo
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faculdade é difícil... Sim, até eu estou espantada e reconheço que ando devorando demais D: Mas vou aproveitar para fazer isso, porque quando eu estiver na faculdade, estarei sem tempo like you... :/ hehe

      Excluir

"Comento, logo existo."