Resenha - O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei

quarta-feira, fevereiro 04, 2015 0 Comentários A+ a-


Título: O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei - Vol. 3
Autor: J.R.R. Tolkien
Editora: Martins Fontes
Nº de páginas: 450
No Skoob: Clique Aqui
Comprar: Clique Aqui (R$ 35,91)



Sinopse:

"O Retorno do Rei" é a terceira parte da grande obra de ficção fantástica de J. R. R. Tolkien, "O Senhor dos Anéis". É impossível transmitir ao novo leitor todas as qualidades e o alcance do livro. Alternadamente cômica, singela, épica, monstruosa e diabólica, a narrativa desenvolve-se em meio a inúmeras mudanças de cenários e de personagens, num mundo imaginário absolutamente convincente em seu detalhes. Nas palavras do romancista Richard Hughes, "quanto à 'amplitude' imaginativa, a obra praticamente não tem paralelos e é quase igualmente notável na sua vividez e na habilidade narrativa, que mantêm o leitor preso página após página". Tolkien criou em "O Senhor dos Anéis" uma nova mitologia, num mundo inventado que demonstrou possuir um poder de atração atemporal.
Resenha

Antes leia a resenha de A Sociedade do Anel e de As Duas Torres!



Meu Deus, o que foi esse "O Retorno do Rei"? Aqui o bicho realmente pegou. Todos em busca da salvação da Terra-média, para que ela não perecesse sob a sombra. 

Mais uma vez, começamos acompanhando Aragorn, Gandalf, Merry, Pippin, Legolas e Gimli. O primeiro alvo de Sauron era atacar e tomar as terras de Gondor. Então ele pedem socorro à Rohan, que vem quando eles mais precisavam, no meio de uma guerra. Merry e Pippin se separam, um vai para Gondor e outro fica em Rohan. Depois de muita guerra e muita morte, finalmente estamos com Frodo e Sam outra vez. Enquanto lá fora o bem luta diretamente com o mal nos portões de Mordor, dentro da cidade escura, estão Sam e Frodo, tentando destruir o Um Anel na Montanha da Perdição. Graças a Sméagol, o Anel é destruído e Frodo se torna o Frodo-dos-Nove-Dedos. O que obviamente não acontece no filme. 

Depois da destruição do anel e depois de Sauron ser derrotado, eles finalmente encontram Gandalf e toda a Sociedade está junta outra vez. Muitas despedidas acontecem e quando Frodo e Sam voltam para o Condado, ele está tomado por Saruman (não lembro se isso aparece no filme). Mas enfim, mesmo com o Condado salvo e tudo certo, Frodo insiste em ir partir nossos corações... Ele quer ir embora, e vai, com Bilbo e alguns elfos. Sam fica muito triste e volta para a Vila dos Hobbits, com sua família. E é assim que acaba. Você sabe que Frodo estava triste, Sam estava triste, Bilbo estava morrendo e acaba. Dói, sinceramente, dói. Nunca pensei que eu fosse sentir isso depois de terminar a trilogia, mas doeu. Eles são tão amigos o tempo todo, são tão fiéis. Mas o final me decepcionou, e, por mais que tenha sido um final feliz, não foi... Entende? É complicado...

O momento em que Pippin jura fidelidade à Denethor, rei de Gondor.
- Aqui juro fidelidade e serviço a Gondor, e ao Senhor e Regente do reino, falando e calando, agindo e não agindo, vindo e indo, na necessidade e na fartura, na paz ou na guerra, na vida ou na morte, desta hora em diante, até que meu senhor me libere, ou a morte me leve, ou o mundo acabe. Assim digo eu, Peregrin, filho de Paladin do Condado dos Pequenos. 
O momento em que Sam vai salvar Frodo da prisão na torre:
Só poderia haver uma chance, seu amor por Frodo se elevou acima de todos os outros pensamentos, e, esquecendo o perigo, Sam gritou: - Estou chegando, Sr. Frodo!

✖ Avaliação da Escrita: A escrita de Tolkien é clássica, por mais que o texto de O Senhor dos Anéis já tenha sido traduzido por tantas pessoas e por ter sido alterado originalmente pelo filho de Tolkien. Mas eu gosto bastante da escrita e da tradução, acho formal para época que eu imagino que se passe na Terra-média.

✖ Avaliação do Enredo: Nem preciso dizer que é extraordinário, né? Isso vai desde a criação da Terra-média, dos hobbits e de outras raças, das histórias por trás de cada nome e o nome de seu pai (exemplo: Aragorn, filho de Arathorn, Frodo, filho de Drogo, Legolas, filho de Thranduil). Com certeza Tolkien teria um história na ponta da língua para cada história por trás dos nomes. A criação dos nomes mais que originais, as línguas de orcs e elfos de diferentes países, as runas élficas e inúmeras línguas que ele criou. Ele criou um mundo incrível e com isso, influenciou grandes autores atuais de fantasia.

✖ Avaliação da Capa: A capa do terceiro volume é realmente bonita. Vermelha, adoro vermelho. Mostra os cavaleiros de Rohan e Gondor na guerra contra Sauron. A única coisa estranha nessa capa são os dragões... O que dragões fazem ali?

✖ Sobre o Protagonista: Eu comentei nas outras resenhas tratando Frodo como protagonista, por ele ser o Portador do Anel, mas na verdade não existe protagonista nos livros de O Senhor dos Anéis. Se você ler, verá que todos da Sociedade do Anel são os principais, sempre narrando o que cada um está fazendo, não dando ênfase em nenhum. Todos são importantes, mas não tem nenhum MAIS importante que o outro.

✖ O que me levou a avaliá-lo como excelente?
O primeiro livro conta como tudo começou, e sobre a comitiva e seus objetivos. O segundo já é todos indo em busca das realizações. O terceiro é o resultado de tudo: As guerras, o poder do anel, o sofrimento, as mortes... Achei a trilogia incrível.

✖ Considerações finais: 
Essa leitura e a leitura da trilogia fazem parte do Desafio da Trilogia Empacada, que consistia em terminar os três livros antes de minhas férias acabarem (acabam dia 5, amanhã). Terminei o livro dia 30 de janeiro e estou publicando a resenha hoje (dia 4). Eu não tinha em mente postar antes de acabar as férias, pois o desafio era terminar de ler (e eu consegui). Mas quis fazer assim para ser mais nos conformes, haha. Espero que tenham gostado do desafio e que façam também quando precisarem!

E você, já leu O Senhor dos Anéis? Viu os filmes? O que achou? Você também está empacado em alguma trilogia? Comenta aí!


/Beijocas da Saroca

Sara Muniz, dona do blog Interesses Sutis, sou apaixonada por ler, escrever e criar. Adoro música erudita, rock, pop, música francesa e de vez em quando até uma musiquinha indiana para dar uma animada! Preciso ver artes plásticas para me inspirar a escrever. Meus autores preferidos são Patrick Rothfuss, J.R.R. Tolkien, Brandon Sanderson, Jostein Gaarder e Khaled Hosseini (nessa ordem). Amo cantar e desenhar - mesmo fazendo ambas as coisas mal -, sou fissurada por cachorros e todos são "bebês fofinhos" para mim. Às vezes, eu acho o mundo lindo, outras vezes eu acho que a colisão de um meteóro com a Terra seria a salvação. Saiba mais sobre mim na página "About"!

"Comento, logo existo."