Resenha - Os sofrimentos do jovem Werther

domingo, outubro 16, 2016 0 Comentários A+ a-


Título: Os Sofrimentos do Jovem Werther
Autor: Johann Wolfgang Goethe
Editora: L&PM Pocket
Nº de páginas: 208
No Skoob: Clique Aqui
Comprar: Clique Aqui
Avaliação:



Sinopse:
A literatura alemã divide-se em antes e depois de Os Sofrimentos do Jovem Werther, que chega às livrarias brasileiras nesta nova e brilhante tradução de Marcelo Backes.Ao escrever Werther, em 1774, Johann Wolfgang Goethe alcançava sua primeira obra de sucesso e, de quebra, dava início à prosa moderna na Alemanha. Werther não é, simplesmente, um romance em cartas assim como Nova Heloísa de Rousseau ou Pamela de Richardson. Esta que é uma das mais célebres obras de Goethe é o romance de uma alma, uma história interior. Dilacerante, arrebatada é a história de uma paixão literalmente devastadora. Com enorme repercussão quando do seu lançamento, Werther foi um testemunho de como a literatura tinha poder de agir na sociedade. Não foram poucos os suicídios atribuídos ao romance. Johann Wolfang von Goethe nasceu em Frankfurt em 1749 e morreu em Weimar em 1832. Poeta, romancista, dramaturgo, crítico, estadista, tornou-se um dos maiores vultos do pensamento alemão, tendo influenciado várias gerações. Em 1775, a convite do Duque Carlos Augusto, foi administrador de Weimar, onde destacou-se brilhantemente como administrador, financista e estadista. Deixou vasta obra, onde se destacam, entre outras, Werther, Ifigênia, Elegias Romanas (poesia), Fausto, Teoria das Cores, Viagem à Itália, Poesia e Verdade.



Resenha
Os Sofrimentos do Jovem Werther é um romance escrito por Goethe, publicado pela primeira vez em alemão em 1774. O livro é um romance epistolar, pois a narrativa se dá a partir de cartas que o jovem Werther escreve para seu amigo Wilhelm, inclusive, após o destino de Werther, é ele quem junta as cartas para a publicação do livro, tudo no universo fictício do livro, é claro.

Werther é um típico burguês que acaba de receber uma herança, como todo romântico, ele é incrivelmente sensível a todas as sensações que o mundo pode lhe proporcionar, e como Os Sofrimentos do Jovem Werther foi a obra que lançou a moda romântica no mundo, assim como todo romance tipicamente romântico dessa época, os personagens têm sempre um contato e admiração muito grandes pela natureza.

Nessa obra, temos momentos em que Werther descreve exageradamente como a natureza o agrada, mas apenas parece exagero para nós, porque não se encaixa a nossa realidade atual, por isso, você não deve desistir do livro só por conta disso, por favor, abra sua mente e tente pensar como seria bom mergulhar nas coisas como Werther consegue mergulhar, tente sentir a sensibilidade dele, lembre-se de que ele é um personagem romântico.

Muitas pessoas podem desistir da leitura do livro por conta desses exageros de sensibilidade e romantismo, mas a verdade é que a obra em si é incrivelmente interessante justamente por esses pontos. 

Voltando ao enredo, ele não é muito concreto por se tratar de cartas, mas Werther acaba conhecendo Carlota (ou Charlotte, dependendo da tradução) e passa a sofrer um amor platônico por ela, uma vez que ela é casada e ama o seu marido. Esse amor não correspondido vai influenciar nas escolhas de Werther e o leitor pode acompanhar de perto todo o seu sofrimento e sua insegurança em relação a esse amor impossível. 

Avaliei esse livro com bom, exatamente pela parte interessante que é acompanhar a sensibilidade de um personagem em uma obra que foge tanto a como nós expomos nossos sentimentos atualmente, mesmo que fosse em cartas ou não. Realmente, como característica obra literária do romantismo, temos o exagero muito presente. O que me fez não dar cinco estrelas a esse livro é o fato de ele não prender muito o leitor, a menos que você de fato se identifique com Werther, e eu conheço muitas pessoas que ficaram presas na leitura por conta disso. Mas, o livro não me prendeu muito e a partir de determinado momento, somente os sofrimentos amorosos dele me interessavam e eu ficava entediada tendo de ler ele falando sobre outras coisas nas cartas. Eu realmente invejo o modo como Werther consegue ter sensibilidade, principalmente em relação à natureza. Eu sempre gosto de observar as coisas que estão a minha volta, principalmente as naturais e eu gostaria muito de conseguir mergulhar tanto ao observar a natureza que eu iria alcançar a sensibilidade do protagonista.

E você, já leu Os Sofrimentos do Jovem Werther? Se sim, o que achou? Comenta aí!

Sara Muniz, dona do blog Interesses Sutis, sou apaixonada por ler, escrever e criar. Adoro música erudita, rock, pop, música francesa e de vez em quando até uma musiquinha indiana para dar uma animada! Preciso ver artes plásticas para me inspirar a escrever. Meus autores preferidos são Patrick Rothfuss, J.R.R. Tolkien, Brandon Sanderson, Jostein Gaarder e Khaled Hosseini (nessa ordem). Amo cantar e desenhar - mesmo fazendo ambas as coisas mal -, sou fissurada por cachorros e todos são "bebês fofinhos" para mim. Às vezes, eu acho o mundo lindo, outras vezes eu acho que a colisão de um meteóro com a Terra seria a salvação. Saiba mais sobre mim na página "About"!

"Comento, logo existo."