Você, escritor! - Como criar vilões!

terça-feira, maio 10, 2016 0 Comentários A+ a-


Quem não gosta de um bom vilão? Eu, particularmente, prefiro mil vezes aos vilões dos que os mocinhos (ou os anti-heróis, afinal, os mocinhos tendem a serem muito chatos -q). 

Algo que eu acho incrível é quando estou lendo um livro que tem tudo para ser bom, ótimos personagens, ótimo enredo, tudo, tudo para ser uma grande leitura! MAS, no meio disso tudo surge um personagem nada haver como vilão! o.O Como assim? A pessoa surge do nada como vilão querendo destruir as esperanças dos mocinhos, mas sem aquela pegada que prende o leitor ou um motivo realmente plausível? Como assim produção? Que tipo de vilão é esse? 

E, pensando nisso, resolvi dedicar essa postagem sobre os (amados) vilões!


Quem ele é?


Onde tudo começou? Onde ele(a) nasceu? Quem eram seus pais? Como eles agiam? Como foi sua infância? Tinha problemas? Sofria bullying? Qual sua relação com seus pais? Tinha amigos? Era solitário? Órfão? Se sim, como seus pais morreram? ...

Se faça essas perguntas e pense: como é a vida de seu personagem? O que contribuiu para ele ser o que é hoje? Se hoje o personagem é uma pessoa amarga que odeia o amor, não gosta de nada bonitinho e fofinho... O que contribuiu? Quais foram os fatores?

Dependendo do tipo de vida que o personagem leva atualmente, você pode criar um passado totalmente desastroso ou algo que realmente justifique seus atuais atos. Pois onde já se viu um vilão que teve uma vida mediana fazendo coisas que não contribuem ou justifiquem seus atos? 

Algo que recomendo é escreverem toda a vida dele em um word! De ponta em ponta, como foi o desenvolvimento dele como criança até o momento em que já é adulto, isso o torna mais real e lhe dá mais clareza sobre suas escolhas durante o livro! ^^ 

Por que ele é o vilão? 

Ok, você já tem o vilão, a vida dele escrita por inteiro e sabe exatamente o que ele vai fazer, e agora se pergunte: por que ele é o vilão? O que aconteceu para ele querer arruinar a vida do principal? Qual o motivo? Não importa você ter um ótimo vilão sem ter um motivo válido, não é?

Ah, ele é o vilão por que o mocinho roubou a namorada dele no ensino médio. 
Perdeu os pais muito cedo e culpou o mocinho por isso tá atrás dele. 
É só um cara revoltado da vida que resolveu fazer algo contra o mocinho. 
Não há motivo! Ele apenas quer destruir tudo por gostar!

Tá, nem para tanto! Mas entenderam, não é? Toda pessoa tem um motivo pelos seus atos, então por mais que seu vilão seja cativante e faça o leitor se apaixonar por seus atos maléficos por todo o enredo, o que realmente importa é: por quê? Sempre tenha o motivo em mente, pois essa é a principal fonte de todos os seus atos!

Lembre-se: ele é humano!

O vilão ainda é um ser humano, não é mesmo? Então, por que ele tem que ele tem que ser 100% do mal? Ou 100% ferrado na vida? Ele tem momentos bons e ruins, não tem? Será que ele deve sempre demonstrar aquele sorriso cínico, fazer atos maldosos e rir com escárnio? Demonstrando uma visão totalmente distorcida do que ele é por causa de acontecimentos passados? 

Sempre há um momento em que até mesmo a pessoa mais amarga sorri, mesmo que de canto. Mesmo tendo um rosto duro, em algum momento se suaviza. 

Todos tem um porto seguro, um lugar/pessoa em que possam agir como bem entendem, sorrir rir, chorar, então por o vilão não pode ter? Ele precisa ser uma pessoa amarga sem nada disso? Apenas uma pessoa louca ou cínica? 

Tendo isso em mente o psicológico de seu personagem fica evidente! 


E é isso! Uma pequena postagem sobre como criar um vilão! Baseado em experiência própria :) 

Até a próxima! 

Sara Muniz, dona do blog Interesses Sutis, sou apaixonada por ler, escrever e criar. Adoro música erudita, rock, pop, música francesa e de vez em quando até uma musiquinha indiana para dar uma animada! Preciso ver artes plásticas para me inspirar a escrever. Meus autores preferidos são Patrick Rothfuss, J.R.R. Tolkien, Brandon Sanderson, Jostein Gaarder e Khaled Hosseini (nessa ordem). Amo cantar e desenhar - mesmo fazendo ambas as coisas mal -, sou fissurada por cachorros e todos são "bebês fofinhos" para mim. Às vezes, eu acho o mundo lindo, outras vezes eu acho que a colisão de um meteóro com a Terra seria a salvação. Saiba mais sobre mim na página "About"!

"Comento, logo existo."